sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Vange Leonel é homenageada no Dia Nacional da Visibilidade Lésbica em Brasília

Programação inclui filme “Flores Raras” de Bruno Barreto

A cantora, compositora, ativista, escritora, feminista e lésbica Vange Leonel será homenageada durante a programação do Dia Nacional da Visibilidade Lésbica, que acontecerá na quinta-feira (28/08), em Brasília. 

Organizadas pelas Secretarias de Políticas para as Mulheres (SPM) e de Direitos Humanos (SDH) da Presidência da República, em parceria com o Conselho Nacional de Combate à Discriminação (CNCD/LGBT) e, ainda,  com o Conselho Nacional dos Direitos das Mulheres (CNDM). As atividades tem o apoio do Ministério da Cultura e visam reafirmar a pauta das mulheres lésbicas e bissexuais e promover os direitos dessa população.


Vange Leonel morreu no dia 14 de julho de 2014 aos 51 anos, vítima de câncer no ovário. Durante a homenagem, estarão presentes sua mãe, Maria Helena Leonel Gandolfo, e sua companheira Cilmara Bedaque, além das ministras da SPM, Eleonora Menicucci, e da SDH, Ideli Salvatti, a presidenta do CNCD/LGBT Janaína Oliveira, além de outras autoridades.

Nascida em São Paulo, Vange Leonel além de fazer sucesso como cantora, também se enveredou pela literatura em 1999, quando lançou o seu primeiro livro, "Lésbicas", e contribuiu com diversos zines e revistas, entre elas a coluna GLS da Revista Folha, da "Folha de S.Paulo". Com passado de ativismo com grupos GLS e feministas já nos anos 1980, Vange Leonel assumiu publicamente sua homossexualidade em 1995.

Cinema – Antes da homenagem a Vangel Leonel, que acontecerá às 16 h, haverá uma reunião técnica entre conselheiras lésbicas do CNCD/LGBT e do CNDM para discutir ações de enfrentamento à violência contra mulheres lésbicas e promoção dos direitos dessa população. Gestoras representando a SDH, a SPM, o Ministério da Cultura, dentre outros Ministérios, também participarão da reunião.

Às 19h, acontece uma sessão de cinema com o filme “Flores Raras”, com a história do relacionamento entre Elisabeth Bishop (poeta americana vencedora do Prêmio Pulitzer em 1956) e Lota de Macedo Soares (“arquiteta” carioca que idealizou e supervisionou a construção do Parque do Flamengo).

Data – O Dia Nacional da Visibilidade Lésbica, 29 de agosto, foi instituído a partir do I Seminário Nacional de Lésbicas (Senale), ocorrido na mesma data em 1996, no Rio de Janeiro, por iniciativa do Coletivo de Lésbicas do Rio de Janeiro (Colerj). Como resultado simbólico, foi inserida a letra L, de lésbicas, na sigla LGBT, tornando-se um dos primeiros passos de compromisso do movimento homossexual se com a pauta das Lésbicas.

Fonte -Secretaria de Políticas para as Mulheres – SPM

Nenhum comentário:

Postar um comentário