sexta-feira, 26 de julho de 2013

CUT/MT participa da Reunião do Coletivo Nacional da Secretaria de Mulheres

Foto CUT - Mesa de abertura
A secretária de Organização Sindical do Sintep/MT, Marli Keller, está representando a  Central Única do Trabalhadores de Mato Grosso (CUT/MT), na Reunião do Coletivo Nacional da Secretaria de Mulheres da CUT, que acontece em São Paulo. A reunião começou ontem (25/07) e termina hoje (26/07).

De acordo com Marli Keller, o principal objetivo da reunião do coletivo é a formatação das ações  que deverão ser desenvolvidas em  2014.  “Está na pauta das mulheres questões como as as apontadas pela CUT, na III Conferência Nacional das Mulheres:  erradicação da pobreza, creches, direitos das/os domésticas, combate a violência sexista/ doméstica, igualdade salarial, saúde integral, redução da jornada, convenção 156 responsabilidades familiares, ampliar a participação política das mulheres”, citou a coordenadora do Coletivo de Mulheres do Sintep/MT.

Segundo a representante da Coletivo Estadual  da CUT , entre os pontos de discussão está sendo debatida a postura da CUT em relação ao estatuto do nascituro. “O PL 478/ 2007 - Estatuto do Nascituro  é um projeto é retrogrado.  É um projeto contra as mulheres e a favor do estuprador. O PL  retira a culpa do agressor, que estupra e o transforma em pai e a mulher tem que carregar esse trauma, sob pena de ir para a cadeia”, explica Marli Keller.  


Marli keller (a direita) é coordenadora do Coletivo
de Mulheres do SINTEP/MT
Outro assunto polêmico em debate é  sobre o PLC 03/2013. O PL foi aprovado na última semana pelo Senado garantindo uma série de tratamentos médicos para vítimas de estupro, incluindo a “profilaxia” da gravidez.  O PL 03/2013 foi baseado no antigo PL 60/99 da Câmara, assinado pela então deputada Iara Bernardi (PT-SP), a mesma autora do PLC 122/2006. No texto da ex-deputada o inciso IV do artigo 4º dizia “medicação com eficiência precoce para prevenir gravidez resultante de estupro”, a proposta tinha sido engavetada. 

Na reunião, também está sendo discutida a participação das mulheres trabalhadoras no 9º Encontro Internacional da Marcha Mundial de Mulheres e das mobilizações de 06 de agosto. “As mulheres deverão ir para as ruas, em todo o Brasil, em defesa da PEC das domésticas e de creches”, aponta a diretora da CUT/MT. 

O  Coletivo Nacional da Secretaria de Mulheres da CUT também irá elaborar indicativos de encaminhamentos para a implementar a Campanha de Sindicalização da Central e para a participação das mulheres cutistas na  II Conferência Nacional da Educação (Conae/2014)

Nenhum comentário:

Postar um comentário