terça-feira, 26 de março de 2013

Assembleia das Mulheres no Fórum Social Mundial reforça luta por justiça, liberdade e igualdade

Em uma só voz, em um só canto, mulheres com as suas várias cores, línguas e culturas entoaram em alto e bom som um basta à opressão, à violência, à discriminação e à injustiça.
Um plenário lotado onde ouvia-se gritos de: “a gente vai morrer, mas antes vamos acabar com a injustiça”; “abaixo ao capital, abaixo à ditadura”; “o povo unido jamais será vencido”.
Uma luta em todo mundo por liberdade, igualdade e justiça que ganha ainda mais simbologia ao ver a Assembleia de Mulheres abrindo os grandes atos do Fórum Social Mundial (FSM) em Túnis, capital da Tunísia.

Este país que tem vivido uma nova fase de participação social das mulheres, conforme relata a estudante tunisiana Manel Mezfef. “As mulheres tiveram um papel de enorme importância no grande levante que derrubou o regime ditatorial de Ben Ali. Não tínhamos liberdade para poder se expressar e lutar pelos nossos direitos. Hoje, já nos organizamos, realizamos protestos pacíficos para que a nova Constituição que está sendo construída salvaguarde integralmente os direitos humanos e o das mulheres”, destacou.
A Assembleia contou com grande participação das mulheres CUTistas, representadas nas figuras das dirigentes Rosane Bertotti, secretária nacional de Comunicação; Juneia Batista, secretária nacional de Saúde do Trabalhador; Rosana Sousa, diretora executiva.
Fonte - CUT NACIONAL 

Nenhum comentário:

Postar um comentário